Blog

Como escalar os negócios

Como escalar os negócios – importância de monitorar sua marca no mercado

Uma startup, para que seja considerada como tal, deve obedecer aos critérios de inovação, repetitividade e escalabilidade. Ou seja, ser acessível produzir em grandes quantidades sem demandar customização para cada cliente e sem necessitar aumento de espaço físico à medida que cresce a demanda pelo produto/serviço, por exemplo.

A questão mais levantada é: como escalar os negócios? Como fazer sua startup crescer, conquistar investimentos e gerar lucros com a rapidez que este modelo de negócio demanda?

Algumas diferenças, muitas semelhanças

Que uma startup se enquadra em um modelo de negócio diferente, nós sabemos. Como já mencionamos acima, ela precisa ser inovadora e permitir a repetição e escala.

Porém, mesmo levando em consideração essas diferenças que ela possui em relação aos demais modelos de negócio, é fundamental ter a capacidade de enxergar alguns aspectos que ela possui em semelhança com qualquer outro negócio.

Como assim? Para entender melhor, vamos usar como exemplo a questão de estudar o mercado. Tanto a startup como qualquer outra empresa precisam passar por essa etapa no início, e se possível, durante toda a vida do negócio.

Contudo, vamos focar na importância que o estudo de mercado tem na concepção do negócio.

Sendo assim, mesmo que a startup seja um modelo de negócio promissor, ela precisa seguir algumas boas práticas – executadas também por outras empresas – para escalar seus negócios, estas que vamos falar a seguir.

Como escalar os negócios?

Toda startup com uma ideia inovadora deseja intensamente saber qual a receita mágica para escalar o negócio. Abaixo vamos listar algumas boas práticas que podem auxiliar muito para isso!

Controle fiscal, contábil e tributário

A gestão fiscal e contábil da startup deve começar antes mesmo dela ser formalizada. O ideal é procurar uma contabilidade e verificar qual é o objeto social e o regime tributário adequado a ela.

Não deixe essa parte para depois, pois as questões burocráticas podem ficar complicadas quando o volume de informações e documentos fiscais se tornarem maiores. Deixe as questões legais da sua startup em dia, antes de qualquer coisa!

Estude o mercado

Sua ideia é incrível, é repetível e pode ser produzida em grande escala sem necessariamente demandar aumento da empresa. Bacana! Porém, você analisou o mercado? Detectou se esse produto atende uma dor, uma necessidade de uma parcela da sociedade? E ainda, você estabeleceu qual é a persona – cliente ideal – que sua startup deve ter como foco?

estude o mercado

O estudo do mercado contribui para ver todas essas questões, e ainda, aspectos como sazonalidade e entrega desse produto/serviço ao cliente, por exemplo.

Essa investigação permite descobrir muitos outros pontos que precisam ser levados em consideração antes de reproduzir o seu produto. Acreditar no potencial da sua ideia é essencial, mas a pesquisa sobre a demanda de mercado que ele pode suprir é indispensável.

Faça testes

Essa pode ser a etapa depois de você ter estudado o mercado. Identificada a persona, descoberto que seu produto/serviço atende a dor de uma fatia do mercado, é hora de testar!

Produza alguns modelos testes e ofereça no mercado. Veja como as pessoas os recebem, peça feedback. Essa etapa é essencial para escalar o negócio.

Faça testes

Nada é tão real e válido quanto lançar o produto/serviço para ser testado. É nesse ponto que muitas vezes se descobrem informações cruciais para tornar seu produto ainda mais inovador.

Entenda como sua empresa funciona

Fazer uma análise interna também é primordial. Seu produto pode ser incrível e vender muito, mas e se a entrega dele deixa a desejar? Investigar todas as áreas que fazem sua startup funcionar, permite que você visualize pontos falhos ou melhorias.

Dessa forma, você identifica como seu produto/serviço está chegando ao seu cliente. Ter percepção real do funcionamento de todos os departamentos dos negócios lhe confere maior poder e controle do seu negócio, até mesmo perante os investidores.

Invista em planejamento

Você provavelmente só vai conseguir investimentos se tiver um bom planejamento traçado.

O primeiro questionamento que o investidor faz quando tem o primeiro contato é: qual será o próximo passo? Se você não souber responder, é provável que ele fique na dúvida se o seu negócio é um bom investimento para ele.

Automatize os processos

Quando você automatiza, significa que o crescimento da sua startup não precisa ser proporcional ao número de funcionários ou ao seu desempenho. Isso quer dizer que, por exemplo, você pode aumentar as vendas em 50% e ainda sim dar conta da produção com a mesma quantidade de colaboradores.

Isso claro, utilizando robôs em processos que podem ser automatizados. A automatização ocorre mais em negócios online e setores industriais.

Estude o investidor

O investidor não lhe fornece apenas capital, mas também conhecimento! Ele analisa seu produto/serviço, seu potencial para fazer o negócio crescer e identifica através do planejamento se sua ideia é escalável.

Por que não se informar mais sobre ele também? Como indiretamente o negócio também é dele, é imaginável que ele vá contribuir através da própria expertise de mercado e experiência em outros investimentos.

O financeiro é importante, mas todo conhecimento de mercado é bem-vindo.

Invista em Digital

A probabilidade da sua startup conseguir escalar com facilidade sem estar na internet é muito pequena. Você só vende se for visto! Investir em estratégias de marketing digital é crucial, tanto para despertar o interesse de investidores, quanto de clientes.

Técnicas de SEO e anúncios pagos no Google Analytics são ações desejáveis. Mas isso indicamos que você faça apenas depois que tiver realizado os testes e validado a ideia no mercado.

Invista no digital

Aproveite as redes sociais para se aproximar do seu cliente e manter um contato mais real e direcionado. Se for viável, invista também em inbound marketing.

Ele é uma forma de nutrir a pessoa com conteúdos e materiais ricos durante um tempo, para então depois se tornar um possível cliente.

Essa estratégia oferece resultados de médio a longo prazo, mas possui um custo relativamente baixo e costuma trazer bons resultados.

Monitorar sua marca faz diferença

Lembra que no começo do texto falamos que as startups possuem algumas questões parecidas com as demais empresas do mercado? O monitoramento da marca é uma delas! Ele é indispensável para startups, e muito mais demandado por elas, pois esse modelo de negócio trabalha de forma acelerada e a tecnologia está o tempo todo se transformando.

Realizar o registro da sua marca e logo após monitorá-lo diariamente contribui para o crescimento da sua startup. Mas, de qual forma?

A partir do momento que você leva a ideia para investidores, já deve ter sua marca registrada e sendo devidamente monitorada no meio online e off-line. Uma marca registrada possui valor de mercado e passa a visão de um investimento seguro.

Com o crescimento acelerado, a probabilidade da sua startup chamar a atenção de curiosos é muito grande, então, para não ter sua marca plagiada ou sua ideia copiada, patenteie sua ideia e registre e monitore sua marca.

O Fixar Play pode ajudar

Existe empresa especializada para realizar o monitoramento completo da sua marca no meio online? Sim! O Fixar Play é um software da Fixar que realiza a fiscalização completa da sua marca no digital.

A partir do momento que sua marca é registrada na plataforma, o sistema analisa todas as informações e imagens na internet em busca de sites, blogs, conteúdos de redes sociais que mencionam sua marca. Isso 24 horas por dia e em tempo real!

Quando detectar o uso dela – permitido ou não – o sistema avisa a Fixar e você. Então, quando ocorrer uma situação de uso indevido, a Fixar que auxilia indicando o melhor caminho e as providencias ideais diante de tal situação.

Com o Fixar Play você pode ir em busca de investidores e do fortalecimento da sua startup no mercado. Se tiver interesse em saber mais dessa ferramenta completa, fale conosco!

Compartilhe: