Blog

Tempo médio de maturação de uma startup

Tempo médio de maturação de uma startup

Ter a ideia de um produto/serviço que seja escalável a longo prazo, que atenda as necessidades dos consumidores e permita lucro e crescimento de forma acelerada para a startup, é o começo.

Mas, para que esse raciocínio que parece ser simples, dê certo, há muitas questões que precisam ser levadas em consideração.

Para deixar esse produto/serviço pronto para ser ofertado no mercado, é preciso estar por dentro do preço da mão de obra, dos materiais e dos equipamentos. O registro da marca da startup é importantíssimo e essencial para que ela cresça de maneira segura.

No blog post de hoje falaremos sobre os estágios de vida de uma startup e sobre o que é preciso analisar para perceber que a startup está na fase de maturação. E ainda, a importância de cuidar da parte de registro e propriedade intelectual da marca.

Ciclo de vida de uma startup

Tempo médio de maturação de uma startupPara entrarmos depois na questão da maturação da startup, queremos lhe apresentar o clico de vida para que a startup tenha chance de chegar ao sucesso. Esse processo foi respondido por Cassio Spina, especialista em startups, ao site da EXAME.

  1. Concepção: nesta etapa deverá ser identificada a oportunidade, isto é, qual necessidade é mal-entendida e idealizada uma solução inovadora que resolva o “problema” de forma diferenciada.
  2. Gestação: nesta fase deve-se elaborar um protótipo ou prova de conceito da solução concebida para testar tanto sua viabilidade técnica quanto econômica e principalmente poder começar a validar perante aos potenciais clientes seu interesse. É hora também de planejar os próximos passos, quais recursos (humanos e financeiros) serão necessários e o modelo de negócio. Se necessário, deve-se também buscar investimento.
  3. Nascimento e validação: finalmente chega-se à fase mais importante de qualquer startup, a prova que seu produto ou serviço tem demanda, através do lançamento para o mercado e a validação que os clientes comprem/contratem seus produtos/serviços.
  4. Crescimento ou morte: com os resultados da fase anterior pode-se decidir se a empresa tem o potencial de crescimento necessário ou não, decretando sua continuidade ou encerramento das atividades. Como dizem, se for falhar, falhe rápido, mas aprenda por que não teve sucesso para na próxima não cometer os mesmos erros.

Definições importantes

Possível que você já saiba o que essas palavras significam, ou não. Por isso, queremos apresentar a definição de palavras muito usadas no mundo das startups, e que definem as possibilidades de investimentos, de certa forma. As definições foram retiradas do Infográfico 7 Passos para fazer sua startup crescer em 2018, da MK Soluções Empresariais:

Investidor-anjo

Profissional que além de fornecer recursos financeiros também pode atuar como tutor da empresa. Para conquistá-lo prepare uma boa apresentação ou um pitch e desenvolva um plano de negócios que indique o retorno esperado.

Aceleradoras e Incubadoras

Organizações que dão suporte ao desenvolvimento de startups e empresas de tecnologia. Enquanto as aceleradoras investem recursos financeiros e trabalham no aperfeiçoamento da gestão da empresa, as incubadoras oferecem espaço físico e não tem fins lucrativos.

Crédito financeiro

O empréstimo ou mútuo pode ser realizado pelos empreendedores que buscam investir no crescimento do negócio. Deve-se estar atento aos juros e detalhes do contrato com a instituição financeira ou com pessoas físicas e jurídicas.

Lembre-se: a organização financeira e uma boa apresentação da startup, com um plano de negócio e um pitch, são fundamentais para atrair investidores para a empresa.

Startup madura

De acordo com matéria no site da EXAME, o ecossistema de empreendedorismo inovador está amadurecendo rapidamente no Brasil […]. “Ainda há pouca gente com negócios sólidos, já lucrativos, mas esse número tem aumentado rapidamente”, diz Pedro Englert, presidente da StartSe.

Conforme dados do Censo StartSe 2017 e informações da matéria no site da EXAME, levando-se em consideração que 70% das 779 startups analisadas na pesquisa foram fundadas em 2016 e 2017, a média de idade dessas empresas é de dois anos e cinco meses.

Analisando essa informação, do tempo médio dessas empresas, e cruzando com mais os seguintes dados da mesma pesquisa, a seguir, podemos entender a média de tempo de maturação de uma startup.

Das 779 startups:

  • 5,4% estão no estágio de hipótese (formulação das ideias sobre o produto, solução e modelo de negócios);
  • 38% estão no estágio de validação (já tem uma hipótese e está testando a viabilidade da sua solução);
  • 36% estão no estágio de negócio (buscando o nicho ideal no mercado para o seu produto, começando a conquistar os primeiros clientes);
  • 20,6% estão na fase escala (aquela no qual a empresa já tem um modelo de negócios definido e clientes e está acelerando seu crescimento).

Entende-se então que o tempo médio de maturação de uma startup fique entre dois a três anos.

Se aplicar estes estágios em tempo, de acordo com matéria no site CanalTech, se encaixa no tempo de vida médio das startups apresentadas no Censo StartSe 2017.

  1. Uso (6 meses): objetivo é revalidar o projeto, desta vez testando a atratividade dele em escala maior.
  2. Compra (6 meses a 1 ano): valida o modelo de negócios e monetização do projeto. Primeiros clientes pagantes e inicia-se a geração de receita.
  3. Economics (6 meses a 1 ano): definição do modelo de aquisição de clientes.
  4. Receita: é o momento de conquistar o mercado. A jornada para alcançar esse estágio gira em torno de 2 anos.

Registro de marca e patente da ideia

Tempo médio de maturação de uma startupDepois de ter sido realizada a concepção da ideia de produto/serviço que será disponibilizado no mercado, a próxima fase que compreende a gestação, onde irão ser feitos os testes e protótipos para verificar a viabilidade técnica e econômica, ocorre também, se necessário a busca por investimentos.

Após o produto/serviço ter se provado rentável, é fundamental que você registre a marca ou patenteie sua ideia. Isso a fim de que elas estejam devidamente protegidas.

Mesmo que ainda não tenha conseguido investimento, quanto mais breve realizar o registro e patente, mais segura estará sua inovação. Caso contrário, assim que você realizar seu primeiro contato com o mercado, sua ideia ou marca estarão desprotegidos e suscetíveis a concorrência desleal.

Além disso, ao apresentar a ideia a possíveis investidores, é fundamental ter o registro e patente. Isso com o intuito de se proteger até mesmo de investidores mal-intencionados. Estes que podem ter gostado da sua ideia mas não quiseram investir quando você apresentou.

Conclusão

O tempo médio de maturação de uma startup é relativo. Cada qual vai passar pelos estágios do ciclo de vida apresentados no início em um determinado tempo. Muitas questões precisam ser levadas em conta para definir o tempo próximo da maturidade de uma startup.

Mas com base no ciclo de vida, você percebeu que a maturação vem com o crescimento da startup. Depois de ter sua ideia no mercado, ela passa a gerar lucro e a conquistar cada vez mais investidores.

Além disso, você identificou que o registro é um fator essencial no ciclo de vida da startup. Isso porque ele vai influenciar no crescimento dela.

Por isso, não basta uma ideia incrível, é primordial protegê-la. Isso não só agrega na hora de conquistar investidores, como auxilia na sua consolidação no mercado de forma segura.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email