Blog

inovação e tecnologia

Fixar se dedica a mercado de inovação e tecnologia

A Fixar direciona esforços com o intuito de atender cada vez mais com qualidade empresas de inovação e tecnologia. Ela tem se especializado no suporte a essas empresas, no registro de marcas e patentes. E ainda, no monitoramento e acesso a bancos tecnológicos.

Vamos falar um pouco sobre as especializações e cursos. E ainda, quais ações que a Fixar tem realizado para atender a essas áreas que tem crescido de forma acelerada.

Programa SEBRAE Startup e Inovação

A Fixar participou de programas do SEBRAE voltados a concepção e elaboração de ideias inovadoras a fim de torná-las negócios de sucesso.

O foco era entender mais do universo digital das inovações e das startups e poder ser suporte no desenvolvimento de ideias e projetos.

Ou seja, a Fixar busca sempre estar apta a aconselhar desde a concepção de uma ideia (caso você não tenha uma) até o registro e monitoramento das suas propriedades intelectuais.

Blockchain

blockchainA Fixar já realizou a capacitação dos seus gestores em blockchain. Mas, o que ele significa? Conforme o site Techtudo, o conceito de blockchain (ou cadeia de dados) surgiu em 2008 e representa, basicamente, uma forma de validar uma transação ou registro. Desenvolvido com o objetivo de dar mais segurança às transações digitais, o blockchain é a inovação que está por trás da moeda digital. Apesar de estar ligado às criptomoedas […], o seu uso começa a se diversificar.

Ainda conforme informações do site, a tecnologia pode ser usada também na validação de documentos – contratos, vendas de imóveis ou troca de ações.

É indicado também para provar a autenticidade de páginas na internet. Através do uso do blockchain é possível provar que um conteúdo esteve publicado em um site. E, se copiado, ser utilizado para provas em processos judiciais. Ele também é estudado para ser utilizado em bancos e validar votos em eleições digitais.

Mas qual é a relação entre a Fixar e o blockchain? TUDO! A função principal dele é a proteção através da criptografia dos dados. Isso faz dele uma ferramenta muito útil ao trabalho desenvolvido. Nossa marca é cuidar da sua, e o blockchain vem agregar nesta ação!

Plataforma tecnológica de proteção intelectual

Além de dar encaminhamento às questões burocráticas junto aos órgãos oficiais para registro de marcas e patentes, a Fixar tem contribuído com o monitoramento do uso indevido da marca através da Plataforma exclusiva, o Fixar Play.

Através do atendimento a clientes e parceiros, a ferramenta facilita no monitoramento. E, se necessário, na identificação de quem está usando a marca nos meios online.

Nada passará despercebido pela ferramenta. A partir do momento que a marca é colocada lá, o software realiza uma varredura integral na internet. Isso em tempo real, 24 horas por dia, em busca de algum uso da marca de forma indevida.

Vale enfatizar que a ferramenta não auxilia apenas no reconhecimento do uso indevido da marca no meio digital. Ela também colabora em questões relevantes como, análise do que os clientes estão falando dela, feedbacks positivos e negativos. E ainda, quais conteúdos são mais lidos, favorecendo a elaboração de novas ideias a serem abordadas. A opinião dos clientes é fundamental, pois auxilia nas possíveis mudanças que sejam necessárias no produto/serviço prestado.

Bancos tecnológicos

A Fixar possui convênio junto a UFSCar para pesquisa e prospecção tecnológica em bancos de dados de patente mundial e desenvolvimento de novos produtos.

A UFSCar teve início das suas atividades em 1970 e as discussões acerca do tema Propriedade Intelectual na comunidade acadêmica tiveram início no final da década de 90. Ainda conforme o site da Agência de Inovação da UFSCar, em 2002, a Fundação de Apoio Institucional ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FAI – UFSCar) criou o Setor de Projetos, responsável pelas atividades relativas ao gerenciamento das patentes da Universidade.

Em outubro de 2003, foi aprovado pelo Conselho Universitário a Portaria GR n. 627/03, que instituiu o programa de proteção à propriedade intelectual e transferência de tecnologia no âmbito da UFSCar, regulamenta os direitos e obrigações relativos à propriedade industrial e dá outras providências.

Ainda sobre a história de Agência de Inovação da UFSCar, é relatado no site que, atendendo às exigências previstas na Lei de Inovação (Lei n. 10.973, de 02 de dezembro de 2004) e seu decreto regulamentador (n. 5.563, de 11 de outubro de 2005), foi criada a Portaria n. 823/08 que dispõe sobre a política de inovação tecnológica e institui a Agência de Inovação da UFSCar, aprovada pelo Conselho Universitário da Instituição em 14 de dezembro de 2007 e publicada em 02 de janeiro de 2008.

A Agência de Inovação da UFSCar, órgão vinculado à reitoria, é responsável, então, pelo tratamento da Propriedade Intelectual no âmbito da UFSCar.

Esse convênio auxilia de forma muito vantajosa. Se você deseja realizar a patente de um produto inovador, a Fixar pode lhe ajudar nos documentos e etapas necessárias. Porém, antes disso, ela realiza uma pesquisa aprofundada neste banco de dados a fim de verificar se mundialmente já não existe algo parecido patenteado.

Foco: Empresas de inovação e tecnologia

softwareO trabalho desenvolvido pela Fixar busca atender todos que necessitam de ajuda no registro da marca ou patente e desejam realizar o monitoramento. Mas, seus esforços e especializações estão focados em atender empresas de inovação e tecnologia.

Por meio de profissionais altamente capacitados, ela lhe dá suporte em todas as questões legais. E assim, indica o melhor caminho em cada passo ou etapa.

A preocupação em ter acesso a bancos tecnológicos e se capacitar em relação ao blockchain, é com o intuito de estar cada dia mais apta a oferecer as melhores soluções em proteção e monitoramento da sua propriedade intelectual.

De acordo com matéria divulgada no site da ABES Software (Associação Brasileira das Empresas de Software), o Brasil mantem-se como o 9º maior mercado de software do mundo. Além disso o site destaca que, dentre as características das empresas brasileiras desenvolvedoras de software, 49,3% são consideradas micro (com 10 funcionários ou menos), 46,2% pequenas (de 10 a 99 funcionários), 4% médias (entre 100 e 500 trabalhadores) e apenas 0,5% grandes (acima de 500 funcionários). Hoje o setor de software representa 1,9% do PIB (Produto Interno Bruto) nacional.

Podemos destacar não apenas o registro de marca e patente, como a proteção de programas de computador. Ou seja, a proteção da tecnologia desenvolvida é cada vez mais essencial. Além disso, os números mostram a proporção que as micro e pequenas empresas tem alcançado no mercado brasileiro. Não apenas em empresas de software, mas de vários segmentos.

Então, podemos entender da seguinte forma: a proteção é indispensável às empresas de qualquer porte. Entretanto, os holofotes estão voltados para as MPEs e Startups (que também começam pequenas).

Conclusão

Proteção e monitoramento são os pilares da Fixar. E ela não poderia fornecer este serviço sem entender todas as questões que envolvem ele, concorda?

Plataforma de proteção exclusiva, entendimento do blockchain e conexão com o trabalho do SEBRAE. Essas são algumas formas que a Fixar encontrou para se aprofundar no universo tecnológico. E ainda, ser completa no serviço que oferece.

Se está começando sua ideia agora, converse conosco. Se precisar de ajuda com registro e monitoramento de marca, também! Nossa marca é cuidar da sua!

Compartilhe: